Sobre um Ladrão de Machado.

Um homem perdeu seu machado, e desconfiou que o filho do vizinho o tivesse roubado. Começou a espiona-lo, e tudo parecia indicar que suas desconfianças estavam corretas: o rapaz andava como um ladrão de machado; sorria como um ladrão de machado, e seu modo de falar parecia ser hipócrita como o de um ladrão de machado. Todos os seus movimentos tendiam a disfarçar sua culpa. Mas, um dia, aconteceu deste homem, que perdeu o machado, cavar um lugar qualquer no vale e topar com o seu instrumento de trabalho perdido em um canto, perto do lugar onde sempre fazia seu serviço. No dia seguinte, ele olhou novamente o filho do vizinho, e concluiu que todos os seus movimentos, todo o seu ser, nada tinham haver com os de um ladrão de machado.


Livro de Liezi. Filosofia chinesa.

Comentários

Rosemeri Pellens disse…
Kkkkkk...
Né? Bem assim que acontece.
Adorei!
Bjk...

Postagens mais visitadas deste blog

O lado bom da vida.

O sentido da vida.

Amor sem limites.