Eu bipolar buscando a paz.

Fonte da imagem:https://www.facebook.com/universobipolarsp/

Hoje olhei essa imagem no meu face e sei lá, me identifiquei.
Tenho diagnóstico de bipolaridade e um provável TB – Borderline- pouco importa.
Os nomes não me definem porque sou muito mais.
Contudo, os transtornos, ou o transtorno interfere muito na minha vida.
Não saber como vou reagir e ter que viver em estado de alerta consome muito as minhas já tão parcas energias.
Traz uma imensa solidão, esses transtornos. Afastei de mim as pessoas que mais amo, não por ser má, quem me conhece sabe que não sou má, muito pelo contrário. Mas talvez até por amar demais, exigir demais, ser carente demais.
Agora aprendi a conviver comigo mesma, minha melhor companhia.
Vou me acompanhar até o final, finalmente rainha que sempre quis ser.
Existe na solidão uma estranha liberdade, jamais amarga, sempre doída, mas eternamente mestra. Aprendi a ser só nas longas madrugadas das muitas internações hospitalares que tive por problemas de saúde física mesmo, porque nunca tive internação por problemas da mente ou depressão, mas se precisar não tenho o mínimo preconceito, tudo é válido para melhorar.
Bem, talvez outro dia fale sobre as internações, talvez.
Obrigada por estar por aqui, mesmo sem comentar sei que alguns me acompanham e isso me basta.
Beijos no teu coração.

Comentários

CÉU disse…
Eu estive e estou por aqui, querida Jeanne!

Estive lendo seu texto com toda a atenção, mas sem lamentações.
Estudei Psicologia por dois anos, mas não sou Psicóloga, e entendo esses estados de espírito, razoavelmente e que são mutáveis. Então, e a vida não é feita de movimento? Olhe, o movimento de rotação da terra (rs)!

Há necessidade de isolamento, sim, e aí, se gera uma felicidade, k não devo classificar. Depois, vem o oposto, que dura, geralmente pouco tempo.
Teres teu espaço é importante, mas não se isole por mto tempo, embora eu saiba k a tendência é se isolar cada vez mais e por períodos mais prolongados. Você julga que as pessoas não a compreendem, e algumas não a entendem, mesmo.

Qdo quiser, desabafe, conte e apareça lá no blog. Eu irei passando por cá, sempre k possível.

Beijos e viva a vida, do jeito k você melhor entender.
Jeanne Geyer disse…
obrigada querida amiga pelas palavras, bjs no teu coração

Postagens mais visitadas deste blog

O lado bom da vida.

O sentido da vida.

A arte de ser feliz.