Não me culpe por me traíres.

Imagem google.

Que seja sempre eu a ter que perdoar, ainda que nem sempre o consiga.
Que seja sempre eu a me sentir prejudicada, mas que consiga dormir de consciência tranquila por não ter ferido ninguém.
Que consiga indefinidamente me indignar sem me nivelar psicologicamente ao agressor de baixo nível moral usando seus métodos espúrios.
Serei as doces palavras sussurradas em ouvidos inocentes, o colo que acolhe, o olhar que acaricia, os lábios a depositarem um beijo confortador.
Não são promessas vazias, meu bem, e não as faço por ti.

De tudo que falo e faço sempre agirei em nome da minha paz, aquela que conquistei duramente.

Jeanne Geyer

Comentários

CÉU disse…
Olá, querida Jeanne!

Parabéns pelo novo visual de seu blog. Aderiu aos novos modelos, cheios de cor e vida. Parabéns!

Li seu inteligente e interessante texto, com o qual estou, inteiramente, de acordo. Que nosso corpo e coração sejam sempre morada para quem amamos. Que não se guardem rancores, para k fiquemos em paz connosco mesmas.

SANTA E REDENTORA PÁSCOA!

Beijos, linda e apareça. Tá?

Postagens mais visitadas deste blog

O lado bom da vida.

O sentido da vida.

A arte de ser feliz.